Histórico do Centro de Assistência Social Divina Misericórdia

O Centro de Assistência Social Divina Misericórdia foi fundado na década de 1980, na periferia de Curitiba, mais especificamente a comunidade Santa Helena, da Cidade Industrial de Curitiba. Nos inícios da ocupação desta comunidade, entre as décadas de 70 e 80, os moradores da região enfrentavam muitas dificuldades, desde habitação, transporte, saúde, entre outros, e sentia-se a necessidade de uma ajuda mais concreta, visto ser uma zona pouco lembrada pelo poder público. Uma das religiosas que atendia a comunidade na época, Ir. Maria de Moraes Silva, membro do Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus e acadêmica do curso de Serviço Social, realizou um trabalho de pesquisa sobre as necessidades da comunidade, com o objetivo de elaborar um pré-diagnóstico que subsidiasse a continuação da investigação, na qual constatou a falta de recursos e de acesso a serviços essenciais tais como: escola, saúde, moradia e saneamento básico.

Durante as discussões realizadas pelos leigos e religiosos da Paróquia São Rafael, aos poucos foi se concretizando a idéia de se criar um Centro Social capaz de absorver estas reivindicações e necessidades, a fim de ao menos “remediar” a situação pela qual passavam os primeiros habitantes desta região. Fundou-se então, o Centro de Assistência Social Divina Misericórdia (CASDM), no dia 19 de março de 1983, com o intuito de dar auxílio às pessoas residentes no bairro, seja no atendimento emergencial como na conquista de direitos. Após sua fundação, o CASDM continuou a desempenhar sua função social, ora com objetivos mais claros, ora realizando um papel paternalista e puramente emergencial, sendo que essa postura assistencialista sobressaiu e se manteve por vários anos, reduzindo-se suas ações ao atendimento emergencial com doações de alimentos, roupas, calçados, remédios – era assim que a comunidade conhecia o Centro Social – além de alguns cursos profissionalizantes, como datilografia, corte e  costura, etc.

Em 1999, Ir. Anete Giordani, outra Apóstola, assumiu a coordenação do Centro Social e, a partir de então, através de um esforço paciente de conhecer a dinâmica e as relações de forças que havia na comunidade, muitas coisas começaram a acontecer. Percebendo as manifestações da dependência da população usuária, a falta de documentação, a escassez de registros dos atendimentos e atividades e a falta de planejamento das ações, começou-se a reunir as lideranças das comunidades católicas da região para avaliar o trabalho do CASDM e levantar novas propostas de atuação. Percebendo-se a necessidade urgente de uma “renovação geral”, em novembro de 1999 foi iniciada a reforma do prédio e, nos meses de dezembro/1999, janeiro e fevereiro/2000, foi organizada toda a documentação da entidade.

Em julho do ano 2000, o CASDM assumiu a coordenação de uma creche comunitária, que até então era administrada pelo Grupo de Amparo Santana. A nova unidade, que hoje se chama CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DIVINA MISERICÓRDIA, começou a funcionar no mês de agosto, atendendo 105 crianças de 0 a 5 anos, com um quadro inicial de 22 funcionários. Através de bazares, convênios e parcerias foi possível ampliar o espaço do CEIDM, que passou a atender 220 crianças, a partir de fevereiro de 2002.

Tendo em vista a busca da autossustentabilidade e a captação de recursos para auxiliar na manutenção do Centro de Educação Infantil Divina Misericórdia, foi montada a Panificadora “Sonho de Criança”, com o apoio da Empresa Siemens, que patrocinou toda a infraestrutura necessária para a montagem de uma panificadora. Um dos objetivos iniciais desta unidade era ofertar o curso de panificação e confeitaria para os jovens da comunidade. Para tanto, suas instalações foram ampliadas com a compra de novos equipamentos a fim de oferecer uma aprendizagem de qualidade.

A quarta unidade do CASDM – o Centro Juvenil Madre Clélia – nasceu como resposta aos “gritos da juventude”. No ano 2000, o CASDM recebeu em doação um terreno com um sobrado, construído por voluntários em mutirão, onde funcionava a Associação de Proteção à Infância – Casa da Criança Tia Tereza, que era mantida por pessoas da comunidade do Bairro Sabará. Por um tempo, serviu como depósito de materiais diversos da creche e da panificadora. Certo dia, as Irmãs foram informadas que o local estava sendo assaltado e depredado. Ao chegar, Ir. Anete encontrou 09 adolescentes que afirmaram estar “brincando no seu clubinho”. Rezando e refletindo com a diretoria, Ir. Anete percebeu nessa “atitude rebelde” um grito por socorro, vindo da juventude abandonada à própria sorte, sem escola, sem orientação, sem um lugar seguro onde pudessem aprender, divertir-se, brincar, enfim, “crescer em estatura, sabedoria e graça”, longe das armadilhas que o mundo lhes prepara.

Após muito discernimento, as Irmãs Apóstolas junto com a Diretoria e outros voluntários da entidade, “arregaçaram as mangas” e começaram a arrecadar fundos para a realização da nova construção. Assim, em 2005, o que parecia um sonho quase inatingível tornou-se realidade, graças a recursos arrecadados em eventos e às inúmeras doações de empresas e pessoas que, conhecedoras do trabalho, ofereceram contribuições para a obra que, com certeza é e será sempre, um orgulho para toda a comunidade do bairro Sabará. Esta unidade foi inaugurada em 19 novembro de 2005, com várias atividades para a comunidade tais como: Escola de Futebol e Cidadania Sabará, Oficinas de Desenvolvimento Social e Comunitário, Cursos de Informática e, em 2006, o Projeto Jornada Ampliada (PETI).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A unidade sede permaneceu como local de cursos, bazares, atendimento emergencial, além de sede administrativa da entidade, até o ano 2006, quando teve início, também ali, o Projeto Jornada Ampliada, que, numa parceria com o Governo Federal, atendia 80 crianças e adolescentes de 06 a 16 anos, no período de contra-turno escolar.

Portanto, até o ano de 2008 o CASDM era constituído por 04 unidades: Unidade Sede; Centro de Educação Infantil Divina Misericórdia; Panificadora e Confeitaria Sonho de Criança e Centro Juvenil Madre Clélia Merloni.

Em janeiro de 2009 foi assumida uma nova unidade de atendimento a crianças no Bairro do Boqueirão. O antigo Lar Azul, administrado pela Instituição ACRIDAS, foi incorporado ao CASDM como extensão do Centro de Educação Infantil do Sabará, passando a se chamar CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DIVINA MISERICÓRDIA – Boqueirão. Nesta 5ª unidade são atendidas atualmente 140 crianças em período integral, com previsão de ampliação de vagas para 180, a partir de 2010, após as obras de reforma previstas pela Prefeitura Municipal de Curitiba. No entanto, devido a questões diversas de ordem político-econômica, a reforma ainda não aconteceu, mesmo com toda a pressão feita pela gestora, diretoria e pelos pais das crianças atendidas naquela unidade.

DSC00224

CEIDM BOQ (5)
Diante da grande demanda existente na comunidade do bairro CIC, por locais destinados ao atendimento de crianças e adolescentes no período do contra-turno escolar, à prática de esportes e outras atividades de lazer para as famílias e sabendo como é pequeno o investimento do poder público nesta área, a gestora elaborou um projeto que respondesse
a esta demanda. O projeto foi apresentado a um empresário de Curitiba – Sr. Jorge Favretto – que resolveu ajudar e doou um terreno de 20.000 m2 na região conhecida na época como Alto da Bela Vista – CIC para o CASDM. Após muito trabalho por meio de projetos, que foram apoiados pela esfera estatal, apoio financeiro da comunidade e uma importante parceria feita com a Associação Brasileira de Educação e Cultura (ABEC), foi construída uma nova unidade para o atendimento de aproximadamente 400 crianças e adolescentes: o CISDIMI – CENTRO DE INTEGRAÇÃO SOCIAL DIVINA MISERICÓRDIA. A obra localizada no bairro São Miguel, numa belíssima área de preservação ambiental, foi inaugurada nos dias 07 e 08 de novembro de 2009. No ano seguinte, com os recursos que “sobraram” da construção, foi possível construir uma quadra de grama sintética, o que possibilitou ampliar ainda mais o atendimento, dobrando o número de vagas na Escola de Futebol. Faltam ainda vários detalhes a serem concluídos para que a unidade fique pronta, além da construção de um campo de futebol, também de grama sintética, duas canchas de bocha e de malha, além de mais um bloco de salas, cujos projetos estão em andamento.

13 a 18-07-09 (33)

Cisdimi capa 3

04-05 (8) rede (6)
Ao final de 2011, foi também iniciada a reforma da Unidade Sede, fechada desde dezembro de 2010, devido à queda da demanda do contra-turno e à necessidade de reparos no prédio. Com isso, em reunião da diretoria, foi decidido transferir a sede da entidade para o Centro Juvenil Madre Clélia e dedicar o espaço da antiga sede a um trabalho específico para os idosos. Contamos com o apoio da PUC para a elaboração do projeto de reestruturação do prédio, cuja reforma bastante complexa durou mais de um ano. Nesse ínterim, firmamos uma parceria com a FAS que realocou seus instrutores para oficinas diversas. Assim, as atividades iniciaram em novembro de 2012, na unidade que passou a se chamar Centro de Convivência para Pessoas Idosas Divina Misericórdia – CECOPI.

CASDM 2007

DSC00906

Como se percebe, de 1999 até 2012 o CASDM se expandiu consideravelmente, sendo constituído atualmente por 06 unidades: Sede do Centro de Assistência Social Divina Misericórdia (CASDM) anexa ao CJMC; Centro Juvenil Madre Clélia Merloni (CJMC); Centro de Educação Infantil Divina Misericórdia – Sabará e Boqueirão (CEIDM Sab. e CEIDM Boq.); Centro de Integração Social Divina Misericórdia (CISDIMI) e Centro de Convivência para Pessoas Idosas Divina Misericórdia (CECOPI). Nessas unidades são atendidas mais de 900 pessoas por dia, diretamente, e um número muito maior indiretamente.

(Texto extraído do TCC de Ir. Anete Giordani, de 2001: adaptado e atualizado por Ir. Emily Luci Buch, em 14/04/2013.)

Nossa missão

“Ser um espaço qualificado de atendimento, assessoramento, defesa e garantia de direitos socioassistenciais e educacionais às crianças, aos adolescentes, aos idosos, às famílias e pessoas para o enfrentamento da vulnerabilidade social e a conquista da cidadania.”

Nossos princípios

– Respeito à dignidade, à autonomia e à decisão do usuário.
– Igualdade de direitos no acesso às informações e ao atendimento.
– Defesa da universalização dos direitos humanos, civis, sociais e políticos.
– Compromisso com a qualidade dos serviços prestados aos usuários.

Nossos valores

– Nos relacionamentos: ética, acolhida, solidariedade e respeito.
– No atendimento: competência, profissionalismo, responsabilidade e equidade.
– Na administração: transparência, justiça, diálogo e cooperação.
– Em todas as circunstâncias: AMOR.